quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Os Krenyé e a questão etnica


Temos desenvolvido pesquisa de campo entre o povo indígena Krenyé os quais atualmente estão residindo em Barra do Corda. Tais índios se encontram em perigo eminente por não terem uma TI que possa sustentar suas necessidades previstas e registradas tanto na Constituição de 1988, como também na OIT 169.
A sustentabilidade desse povo, suas crianças, idosos e adolescentes encontram-se em risco de saúde, risco social e sofrendo com falta de assistência especifica e especializada que venha a considerar e reconsiderar seus parâmetros culturais.
Entre agentes e instituições as quais tem mantido contato e constituído ajudas aos Krenyé estão o CIMI (Conselho Indigenista Missionário), IMACSE (Instituto Maranhense de Ciências Sociais e Economia) e FUNAI (Fundação Nacional do Índio). Os Krenyé têm de todas as formas tentado estabelecer um vinculo real e palpável com a FUNASA para um atendimento que não seja vinculado com outros pólos de assistência à Saúde Indígena, as conversas e negociações têm andado de forma arrastada como os próprios indígenas descrevem, mesmo assim, e por conta própria os Krenyé constituíram um pólo independente, sustentado por contribuições de terceiros e pelos próprios Krenyé enquanto se firma algo real com a FUNASA.
Outro ponto que vem sendo discutido bastante nesta comunidade fragmentada e sobrevivente é a compra de uma terra que venha a alimentar a comunidade, suprir suas necessidades mais extremas como povo autônomo que são atualmente.
O IMACSE e alguns pesquisadores independentes têm mantido desde o inicio do ano pesquisas lingüísticas, culturais e socioeconômicas nessa comunidade, realizando censo populacional e descrição da forma como os Krenyé estão sobrevivendo atualmente na cidade de Barra do Corda. 


2 comentários:

ysaeventos disse...

Olá, é com grande alegria e satisfação que escrevo sobre a materia. quero parabenizar o blog pelo enfoque abordado e em especial, sobre o desenvolvimento de pesquisas quanto a preservação, e os caminhos para busca de solução no tocante a real situação sofrida pelos povos indigenas no Ma, e em especial ao grupo Krenye, pois sou da região de Bacabal, que segundo dados,os mesmos são desta região, gostaria de obter maiores informação e digo desde já do apreço e que serei uma fiel seguidora do Blog. abraços e Parabéns. Geysa Santos- pesq.

Jonaton A. S. Junior disse...

Agradecemos muitissimo mesmo seu comentário. Se quiser saber mais escreva para meu e-mail: jonajunior@yahoo.com.br ou jonajunior@hotmail.com.br, e trocamos informações, nossa esquisa com os Krenyé ainda está em andamento.
att,